A ventilação mecânica, ou suporte ventilatório, é um dos recursos mais utilizados em Unidades de Terapia Intensiva em todo o mundo. Esse recurso propicia ao paciente internado a melhora nas trocas gasosas e diminuição do trabalho respiratório amenizando, principalmente, a insuficiência respiratória e a hipoxemia gerada por distúrbios ventilatórios ou sistêmicos. É indicada na insuficiência respiratória aguda ou crônica agudizada.

A ventilação mecânica substitui total ou parcialmente a ventilação espontânea, e pode aplicada de duas maneiras: forma invasiva e forma não invasiva, diferenciadas entre si pela interface de aplicação. A forma não invasiva utiliza como interface máscaras nasais e faciais, enquanto a forma invasiva utiliza próteses endotraqueais, como cânulas naso ou orotraqueais ou cânulas de traqueostomia.

A presença da fisioterapia na UTI é imprescindível, tendo em vista seu conhecimento e atuação junto à equipe multidisciplinar, estando diretamente ligado à recuperação físico-funcional dos pacientes. Por ser um recurso de extrema importância e aplicado em pacientes que exigem um cuidado criterioso, é essencial ao fisioterapeuta compreender os princípios e regulagens do suporte ventilatório, tais como modos ventilatórios, parâmetros e processos de desmame.