A articulação temporomandibular (ATM) é uma das articulações mais complexas do corpo humano, e é formada pelo encaixe do côndilo mandibular na fossa mandibular do osso temporal. Apesar de serem bilaterais, as ATM’s funcionam como uma unidade. A disfunção temporomandibular é o conjunto de desordens que acometem essa articulação e que comprometem a função mastigatória, a deglutição e até mesmo a fala.

Essas desordens possuem múltiplas causas e normalmente não são um problema único. Fatores funcionais, anatômicos e psicossociais estão envolvidos na etiologia das DTM’s. Estalidos, crepitações, dor, limitação da amplitude de movimento e travamento da articulação estão entre os principais sinais encontrados em uma DTM.

A fisioterapia atua nas DTM’s primeiramente através de uma ampla e minuciosa avaliação buscando as causas das desordens, traçando objetivos coerentes com o diagnóstico proposto, e trabalha através de recursos físicos, cinesioterapêuticos e manuais de maneira a melhorar a função comprometida.